Home >>Notícias >> Dia da Mãozinha (07/06/2011)

NOTÍCIAS

Dia da Mãozinha (07/06/2011)

07/06/2011 - Dia da Mãozinha (07/06/2011)

No primeiro dia do uso das “mãozinhas” - aparatos dos orientadores de tráfego para fazer com que os motoristas respeitem as faixas de segurança -, os pedestres continuaram correndo riscos no centro de São Paulo. Motoristas avançaram ontem sobre a faixa de segurança quando havia alguém atravessando, muitas vezes colocando até os orientadores em perigo.

Os orientadores de tráfego ficavam em duplas, cada pessoa de um lado da rua. Na hora de permitir a travessia segura aos pedestres, cada um ia para o outro lado com a mãozinha à frente para sinalizar que os motoristas deveriam parar. Motoristas respeitaram mais os pedestres no cruzamento das Ruas Senador Feijó e Quintino Bocaiuva, por exemplo. Havia no local pelo menos seis orientadores e um agente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).

No entanto, pedestres eram pegos de surpresa quando o marronzinho parava o trânsito da Senador Feijó, mas um automóvel entrava nessa rua vindo da Quintino Bocaiuva. “Eles param lá trás, onde tem marronzinho, mas aqui a gente tem de correr”, diz a supervisora de telemarketing Ana Paula Frias, de 26 anos.

Alguns metros adiante, em outra faixa de pedestre, o desrespeito era maior. “Dá para ver que muitas pessoas começaram a respeitar um pouco mais quando tem essas pessoas (os orientadores de tráfego) por perto, mas não são todas. Alguns nem enxergam o pedestre. Quero ver quando eles saírem. Vai voltar tudo ao que era”, disse o funcionário público Márcio Zalezi Hazar, de 34.

Minutos após ele atravessar a Senador Feijó, na esquina com o Largo São Francisco, no entanto, uma moto desviou dos orientadores e por pouco não atropelou a vendedora Ana Lúcia Paiva de Castro, de 32 anos. “É um absurdo o que esse motoboy fez. E não dá para dizer que ele não viu, porque tinha esses caras com a “mão” bem na frente dele.”

Horário

A Secretaria dos Transportes havia informado que as ações dos orientadores de tráfego seriam das 9 às 15 horas. A reportagem, no entanto, flagrou os orientadores reunidos no cruzamento da Quintino Bocaiuva com a Senador Feijó, recolhendo o material e deixando o local pelo menos 40 minutos antes do horário programado, às 14h20. A CET informou em nota que o horário foi mudado recentemente, para entre 8h30 e 14h30.

Sobre o desrespeito, a companhia afirma que o programa de proteção ao pedestre prevê uma mudança de comportamento, o que é um processo contínuo. “Em Brasília, por exemplo, demorou um ano para as pessoas se adaptarem. A CET já percebe mudanças de comportamento por parte de motoristas e pedestres, mas ainda é uma questão de criar a cultura de preferência.”

Fonte: Estado de S. Paulo

 

 

 

  • Bradesco
  • Unisa
  • PUC
  • São Camilo
Anuncie seu Veículo Fale Conosco
© - PARKWAY - Todos os direitos reservados